Shunga

Os Shunga eram estampas e gravuras de temática sexual elaborados e comercializados no Japão nos séculos XVI, XVII e XVIII. Hoje, Shunga, a melhor marca de cosmética íntima do mercado, recupera a liberdade e a maneira de entender a sexualidade de aquele Japão, o do passado. Óleos de massagem, lubrificantes, velas, geles, champôs, sais de banho, cremes íntimas, pós, até frascos de chocolate para barrar, pintar e lamber o corpo. Produtos exclusivos para deliciar até os mais exigentes. Quer percorrer connosco o mundo Shunga?

Observe a imagem: um casal japonês, um homem e uma mulher, deitados em lençóis já enredados no seu corpo pelo movimento. Enquanto ele a penetra com um pénis de proporções invulgares, um grupo de mulheres mal cobertas por quimonos leves que deixam seus seios e enormes genitais no ar masturbam-se contemplando a cena enquanto o prazer se reflecte em seu rosto. Trata-se de um Shunga, uma estampa feita e vendida no Japão do século XVII.

Passemos agora para outra imagem: no centro do quadro encontra-se Cristo morto, segurado pelo seu pai, sentado num trono de nuvens, acompanhado pelo espírito santo em forma de pomba e rodeado por um grupo de anjos. A pintura a óleo, chamada A Trindade e realizada por El Greco, foi feita no final do século XVI na Europa.

O que é considerado arte em um lugar pode ser visto como pornografia em outro? A arte, como a beleza, a moral ou a estética, não são conceitos universais e variam de acordo com a cultura. Consegue imaginar o Portugal do século XVII a comercializar e a consumir livremente impressões sexualmente explícitas em que os órgãos genitais desempenharam um papel preponderante? Não há necessidade de ir tão longe, quando aqui se produziam trabalhos com motivos religiosos ou monárquicos, as gravuras que serviam de manual para prostitutas e recém-casados eram triunfantes no Japão.

Shunga, arte ou pornografia? Depende do lugar

Um exemplo de como a percepção de um mesmo objecto varia dependendo de onde se olha. As primeiras imagens de Shunga que chegaram ao Ocidente no início do século XVII vieram escondidas nos navios da Companhia Britânica das Índias Orientais e, segundo a jornalista Katie Engelhart no The Guardian, foram imediatamente queimadas pelos próprios oficiais assim que o seu conteúdo impróprio foi descoberto.

Compreender a história, simbolismo e importância que estas gravuras tiveram no Japão dos séculos XVI, XVII e XVIII é vital para entender a filosofia da Shunga, a melhor marca de cosméticos íntimos do mercado. Shunga, literalmente 'imagem de primavera', um eufemismo para o ato sexual, foi inspirado pela arte Shunga original, impressões e gravuras que constituíram um verdadeiro canto à alegria carnal, uma celebração do jogo erótico; mas não só isso, também da vida e da comédia. Elas incluíam desde cenas inofensivas de masturbação até orgias, zoofilia (como "O Sonho da mulher do pescador", uma cena em que uma mulher parece estar a desfrutar à grande do cunnilingus de um polvo gigante), até mesmo o uso de harikatas (dildos).

O sexo como parte da vida. Ou a vida como parte do sexo

As ilustrações, de grande qualidade e feitas pelos artistas mais ilustres da época, eram uma variação do ukiyo-e (gravuras representando paisagens, figuras populares da época ou cenas do quotidiano) e também continham uma crítica subtil sobre a sociedade. Sexo e humor subversivo, há algo mais divertido? Certamente que isso atraiu as classes populares, o Shunga foi para eles a primeira abordagem à pornografia, à liberdade sexual para contemplar e desfrutar. O sexo como parte da vida. A vida como parte do sexo.

O sexo escondia sátiras de lendas tradicionais, assuntos amorosos, referências a figuras públicas da época e até mesmo críticas à religião (através de um monge lascivo suspeitosamente recorrente nas cenas de sexo). Uma mistura japonesa entre a revista Maria e a Playboy, mas de uma forma selvagem e muito mais divertida, que foi usada não só como pornografia, mas também como amuleto entre os guerreiros, como souvenir de uma visita aos bordéis e como kamasutra, para ensinar as técnicas mais recentes às prostitutas e aos casais recém casados.

O sexo, seus usos e costumes, são a melhor maneira de abordar uma sociedade. Como é e como diz que é através de gostos e contradições, e o caso do Japão é, no mínimo, peculiar. Depois de serem livremente comercializados durante anos, chegou a repressão. Os Shunga foram declarados obscenos e proibidos por lei.

Proibição e reivindicação da Shunga

Mais curioso é que num país com uma indústria sexual que gera bilhões de ienes por ano, tão variada e excêntrica que cobre todo tipo de parafilias, os genitais nunca podem ser mostrados, nem em desenhos nem em filmes, nem mesmo os brinquedos eróticos podem lembrar um pénis ou uma vagina. Em filmes, revistas e ilustrações, eles aparecem pixelizados, e em casas de massagem (outro bom eufemismo), a prostituição não existe enquanto não houver penetração. Todas as outras práticas, com ou sem um final feliz, são completamente legais, para os homens, claro. Porque a indústria sexual japonesa foi concebida, quase exclusivamente, para eles (com excepções, claro, como a excelente Iroha). As mulheres são ferramentas, o seu papel fundamental é o papel de empregada.

Mas o caso é que a proibição não atingiu o seu objectivo (quase nunca atinge) e não fez desaparecer o Shunga. A demanda e, portanto, a produção continuaram, a única mudança foi que os artistas deixaram de assinar as suas obras, embora os mais conhecidos utilizassem alguma marca ou distintivo que os identificasse como autores. A demanda e, portanto, a produção continuaram, a única mudança foi que os artistas deixaram de assinar as suas obras, embora os mais conhecidos utilizassem alguma marca ou distintivo que os identificasse como autores.

Como a história mostra, uma sociedade não tem necessariamente de avançar, pode ir para onde quiser (ou para onde algumas pessoas quiserem). Porque os Shunga, condenados ao ostracismo da vergonha, que tanto escandalizavam e que ainda hoje deixam muita gente desconfortável, eram isso, pura arte. Foi assim que artistas como Picasso, Van Gogh, Rodin, Toulouse-Lautrec, Félicien Rops e Monet, que eram verdadeiros fãs e coleccionadores de Shunga, o consideraram na altura. Picasso em particular guardava 61 impressões de Shunga na sua casa, o que o inspirou nos seus últimos anos de vida.

Pouco a pouco, a sociedade japonesa voltou a reivindicar a sua arte. As referências a Shunga são palpáveis no anime e na manga actuais, e as exposições destas gravuras têm-se sucedido nos últimos anos. No entanto, não somos tão modernos como pensamos, arrastamos tabus com os quais é difícil quebrar. O Museu Eisei Bunko em Tóquio acolheu a primeira exposição Shunga no país em 2015, mas depois de ter sido rejeitado por 10 entidades diferentes. Dois anos antes, quando o Museu Britânico trouxe a exposição “Shunga: Sex and Pleasure in Japanese Art” não foram poucos os que criticaram as obras e a escolha do próprio museu. Estamos desconfortáveis com cenas de sexo explícito em um museu ou estamos desconfortáveis com o sexo? É o lugar ou é a obra o que resulta inapropriado para alguns?

Shunga, a melhor marca de cosmética íntima

“Entrar no mundo erótico da Shunga é viajar para o passado", dizem no site corporativo da marca. E têm razão. A empresa, de origem canadiana, quis recuperar a liberdade e a maneira de entender a sexualidade de aquele Japão, o do passado. Por isso, além do nome, cada um dos seus produtos (e são muitíssimos) está ilustrado com uma destas gravuras. A Shunga tornar-se-á a sua marca favorita pela sua qualidade e originalidade.

A sua estética oriental convida ao desejo, aos cuidados e à sensualidade cúmplice. Óleos de massagem, lubrificantes, velas, geles, champôs, sais de banho, cremes íntimas, pós, até frascos de chocolate para barrar, pintar e lamber o corpo. Produtos exclusivos para deliciar até os mais exigentes. Quer percorrer connosco o mundo Shunga?

Shunga, o prazer dos sentidos

Tacto, olfato, paladar, visão, a Shunga no descuida nada. Com estética e inspiração oriental, todos os produtos da marca são feitos no Canadá com matérias-primas de alta qualidade. Produtos premium para desfrutar dos jogos eróticos, do sexo no seu sentido mais amplo, de tocar, cheirar, lamber e acariciar, de se dar tempo para desfrutar lentamente, sem pressas, da beleza dos corpos e do prazer de potenciar cada um dos sentidos.

Os produtos Shunga mais aclamados

Consegue imaginar um creme que melhore seus orgasmos levando-a ao limite do prazer? Especialmente concebido para aumentar a sensibilidade do clítoris, com o creme erótico Secret Garden da Shunga, cada carícia, cada beijo, cada toque, é intensificado até atingir um clímax incrível. À base de água, L-arginina (que tem um efeito estimulante e vasodilatador) e extractos naturais que relaxam as paredes da vagina, aplique um pouco na zona do clítoris e prepare-se para a magia. Esta loção estimulante para uso tópico é compatível com o látex e é mais do que recomendada para uso com preservativos. Irá superar todas as suas expectativas.

E um gel para estimular o pénis e o clítoris ao mesmo tempo? O gel bioestimulante da Shunga Lotus Noir intensifica os orgasmos masculino e feminino. À base de ingredientes ecológicos certificados, apenas algumas gotas são suficientes para penetrar na pele das suas zonas erógenas mediante uma massagem suave. O seu efeito térmico quente e frio e o formigueiro que vai produzir farão o resto.

Vende os olhos ao seu parceiro, acenda a vela e deixe o aroma estimular os seus sentidos. Agora deite a cera quente sobre o seu corpo. Não, não queima. Quando a vela arde, a cera transforma-se automaticamente em óleo de massagem. Um dois em um perfeito para as carícias mais eróticas e estimulantes. Frutas exóticas, rosas, baunilha, coco, chocolate, chá verde, morangos com champanhe, que aroma é que escolhe para uma noite romântica?

Após a massagem, que tal um creme para estimular o ponto G e aumentar a sua sensibilidade para orgasmos muito mais intensos? Não soa mal, pois não? O creme Rain of Love da Shunga, que é totalmente compatível com o látex, dar-lhe-á sensações que nunca experimentou antes. A sós ou com companhia, aplique algumas gotas na área e prepare-se para o que está por vir.

Ou está à procura de algo para aumentar a potência e a duração das suas erecções? A Shunga tem-no e chama-se Creme de virilidade Dragon. Formulado a partir de extractos naturais e compatível com qualquer preservativo de látex, aplique algumas gotas na glande e nos lados do pénis e deixe-se levar pelo fogo.

Admitimos, este é um dos nossos produtos favoritos. Tinta corporal para escrever sobre la pele do seu amante. Cócegas, carícias e, claro, mordidelas. Porque é completamente comestível e tem gosto de chocolate, baunilha ou morangos com cava e chocolate branco. Escolha difícil. Nós queremo-las todas! A propósito, a tinta corporal comestível da Shunga é vegan, sem cores artificiais e sem glúten. Saudável, bom, e com um pincel incluído!

O creme Shunga Hold Me Tight Tight ajuda a tonificar o pavimento pélvico. Sim, isso mesmo. Perfeito para fortalecer os músculos vaginais e restaurar a sua firmeza e elasticidade. Também aumenta a sua sensibilidade durante o sexo, previne infecções vaginais e facilita a lubrificação natural. Aplique na sua área íntima e massageie. Naturalmente, poderá usá-lo com as suas bolas chinesas para um treino mais completo. Um verdadeiro produto milagroso.

Conhece a massagem corpo a corpo oriental? Nós contamos-lhe! O kit de gel massagem de frutas exóticas da Shunga inclui tudo o que você precisa. Duas garrafas para preparar a mistura e um grande lençol que promete paixão em abundância. Despeje o gel nos seus corpos nus e dê-lhe alguma imaginação. Tem um efeito afrodisíaco imediato. Movimentos suaves e carícias para uma experiência erótica que você não vai esquecer.

Lubrificantes Toko da Shunga

Nove sabores, nove oportunidades. A revolução dos lubrificantes íntimos vem aí pela mão da Shunga. Os Toko Aroma foram criados para emular a lubrificação natural. Com formulações à base de água, uma textura ultra-silky e um efeito de longa duração, cuidam e hidratam a sua pele, e são totalmente compatíveis com preservativos de látex e brinquedos sexuais. Sem glúten, sem açúcar e vegan, são os únicos lubrificantes com sabor no mercado que não deixam um mau gosto na boca se ingeridos. Cereja, morango-champanhe, frutas exóticas, melão-manga, laranja, uva, xarope de ácer, lichia e pêra verde - você vai querer experimentar todos eles!

Prefere algo absolutamente natural? Nada melhor do que o Toko Aqua da Shunga. À base de água, com ingredientes naturais, textura ultra-silky e efeito duradouro, este lubrificante imita a lubrificação natural, sem sabor, sem odor e sem nódoas! Escusado será dizer que é vegan, sem parabenos, sem glúten, sem açúcar e completamente adequado para uso com qualquer preservativo de látex ou brinquedo sexual. Lubrifica, hidrata e protege a sua pele.

Apetece-lhe uma sessão de sexo aquático? Bem, nada melhor do que o lubrificante Toko Silicone. Com um toque aveludado e um efeito interminável, também pode ser usado como gel de massagem e é compatível com qualquer preservativo de látex. E se for daqueles que apostam tudo em orgânicos, o seu é o lubrificante ecológico Toko Organic da Shunga. Fabricado com glicerina vegetal pura e derivados naturais do milho, nenhum processo químico é utilizado durante o crescimento das plantas ou o processo de refinação. Sem glúten, sem açúcar e solúvel em água, protege a pele íntima e a flora vaginal.

Óleos e cremes de massagem Shunga

De chá verde, amêndoa doce, chocolate, coco, rosas, laranja, lavanda, pêssego, existem mais de dez óleos de massagem Shunga diferentes. Aromas deliciosos e texturas escorregadias para realçar os sentidos com uma massagem sensual e inebriante. Vegan, sem açúcar, dermatologicamente testados e feitos com ingredientes naturais e relaxantes, gostará tanto deles que vai querer comê-los. Mas atenção, não se confunda, estes não são comestíveis.

Cremes de massagem comestíveis e sem açúcar? Faltava mais. O catálogo da Shunga é tão extenso que estas iguarias não podiam faltar. Cremes corporais que estimulam os sentidos, hidratam a pele e deixam-na macia e sedosa. Com antioxidantes e vitamina E, também são comestíveis! Morango e champanhe, chocolate, frutas exóticas, framboesa, chá verde, cereja, baunilha, sabores e aromas que farão você completamente irresistível. A sua fórmula à base de água, sem parabenos e sem glúten é adequada para veganos. Toque, acaricie, lamba, explore, consegue pensar numa forma melhor de começar o jogo?

Óleos afrodisíacos

Preparem o ambiente, fiquem confortáveis e escolham o vosso aroma. Estimulante como as frutas exóticas? Excitante como o chocolate? Sensual como os morangos? A Shunga oferece-lhe dez óleos afrodisíacos (cereja, chocolate, frutas exóticas, framboesa, morango, menta, laranja, uva, baunilha e chá verde) concebidos para realçar as sensações nas zonas erógenas de homens e mulheres. Com um efeito térmico, estes óleos, compatíveis com látex e brinquedos eróticos, serão os protagonistas dos seus momentos mais prazerosos. Sem glúten, sem açúcar e com ingredientes 100% naturais, são comestíveis e adequados para veganos.

Pós corporais Shunga

Pós excitantes e comestíveis para fazer o seu parceiro vibrar. Polvilhe e espalhe com o pincel sobre o seu corpo, e depois percorra-o com as suas mãos, com a pena ou com língua. Com sabor a mel, cerejas, frutas exóticas, framboesa, morango e champanhe, deliciosas carícias para um prazer lento. Quer sair da monotonia?

Brilhos e gloss de lábios para o sexo oral mais incrível

Dê e receba orgasmos intensos com o brilho labial Divine Oral Pleasure da Shunga. Com efeito térmico quente-frio e sabor de coco, ou morangos e champanhe, pinte seus lábios e dê ao seu parceiro o sexo oral mais incrível da sua vida. Sem glúten, sem açúcar e 100% vegan, é compatível com brinquedos sexuais e preservativos. Também aumenta a sensação de prazer e a sensibilidade da zona genital. Para os beijos mais brilhantes, atreve-se?

Sais de banho Shunga para banhos luxuosos (e luxuriosos)

Quem recusaria um banho sensual e relaxante? A Shunga, inspirada na tradição dos 'banhos de amor japoneses', desenvolveu uma gama de sais de banho para que possa desfrutar de uma experiência nova e apelativa. Estes aditivos afrodisíacos, disponíveis em diferentes aromas e cores, esfoliam e hidratam a sua pele, deixando-a suave e perfumada. Deite o conteúdo na água quente e desfrute, sozinho ou com o seu parceiro, desta incrível experiência sensorial com propriedades terapêuticas. Mime-se.

Kits de produtos Shunga

Para facilitar a sua vida, para lhe prestar uma homenagem ou para fazer o melhor presente do mundo, a Shunga oferece-lhe diferentes conjuntos dos seus produtos. O kit orgânico Garden of Edo inclui cinco produtos (óleo de massagem de chá verde, lubrificante orgânico Toko, sais de banho do Mar Morto, lubrificante de glicerina vegetal pura e derivados naturais do milho, e gel sensibilizante Lotus Noir) feitos a partir de produtos orgânicos certificados. Nos seus momentos mais íntimos, delicie-se com o melhor da natureza.

Se procura uma colecção de afrodisíacos para afinar a sua vida sexual, o kit Geisha's Secrets Sparkling Strawberry Wine da Shunga, irá estimular os seus sentidos e convidá-lo a descobrir novos e mais apetitosos jogos. Com um tamanho de viagem perfeito para vos acompanhar nas excursões mais prazerosas, o Kit Geisha's Secrets contém: óleo de massagem erótico de morango e champanhe, óleo afrodisíaco de efeito de calor, vela de massagem Romance, lubrificante Toko Aqua e creme Dragon para que a sua vitalidade não falhe quando estiverem exaustos. O kit Geisha's Secrets também está disponível em versão bio e inclui: óleo de massagem orgânica, óleo afrodisíaco de efeito calor, vela de massagem Zenitude, lubrificante ecológico Toko Organic e gel sensibilizante para o casal Lotus Noir.

Original, atraente, sensual e de alta qualidade, a colecção de cosméticos íntimos da Shunga é um presente para cada um dos sentidos. Potencie e aumente o seu desejo sexual e o do seu parceiro, cuide de si e desfrute do sexo. Temos apenas uma vida, mas ter sexo faz com que seja mais longa. De que está à espera? Fique de olho nesta marca, vai trazer-lhe muito prazer. Palavra de geisha.

Está a navegar na EroticFeel Portugal desde Estados Unidos e temos um site específico para esse país. A partir desta versão não realizamos envios para Estados Unidos, para isso deverá mudar de versão. Quer continuar a navegar na EroticFeel Portugal ou prefere mudar para o site de Estados Unidos?